[Opinião] Os Filhos de Anansi - Neil Gaiman





Título Original: American Gods 2
Tradução: João Seixas
Editora: Editorial Presença
Páginas: 320
Classificação: 4/5




Sinopse
Os Filhos de Anansi conta a história de dois irmãos radicalmente diferentes que se conhecem por ocasião da morte do pai: Charlie, inseguro e banal; e Spider, herdeiro dos poderes mágicos paternos. O confronto entre os dois vai mudar para sempre os seus destinos e o facto do pai não ser humano, mas antes Anansi, um deus africano caótico e endiabrado, vai revestir a narrativa de um carácter fantástico como só Gaiman sabe conceber, fruto da sua prodigiosa imaginação.

Opinião
Mais um livro espectacular de Neil Gaiman. Este autor consegue surpreender sempre – as suas histórias são sempre imprevisíveis – o universo em que a história está a ser narrada é sempre diferente de livro para livro, e o leitor nunca sabe que rumo é que a história irá tomar.
Desta vez, o autor colocou como protagonista um personagem bastante “insonsa” que descobre ser filho de um Deus. Mas, como já disse, Neil Gaiman é bastante imprevisível e, desta vez, criou os seres divinais como animais, utilizando-os, tal como Esopo ou La Fontaine, para descrever as várias características do ser humano (desde a coragem até à vaidade e arrogância). Anansi, a aranha, é inspirada em contos africanos, que a consideravam como a principal personagem de todas as histórias –é um ser aproveitador e egoísta, que roubava o protagonismo das histórias aos outros deuses (como o Tigre), criando uma série de inimizades com os outros animais/seres divinais. Neil Gaiman inspirou-se nesta personagem dos contos africanos como base para a sua história.
O protagonista desta história, Charlie Gordo, é filho deste Deus, mas não herdou nenhuma das suas qualidades (ou defeitos) – é um ser bastante banal, que segue o rebanho como um cordeiro obediente, sem nunca conseguir alcançar nada de fenomenal na vida. Tudo muda quando o seu pai morre, porque nessa altura descobre que tem um irmão chamado Spider (que possui todos os poderes do pai), que passa a fazer parte da sua vida, virando-a “de pernas para o ar”.
O nosso protagonista, com todos os acontecimentos que se vão desenrolando, vai crescendo enquanto personagem e, depois, enquanto Deus. O autor conseguiu mostrar esta evolução psicológica da personagem muito bem, tornando-a extremamente real aos olhos do leitor.

De início achei o livro bastante estranho mas, com o decorrer das páginas, a história agarrou-me de tal forma que só sosseguei quando acabei de o ler.
Um livro de um sentido de humor único, visto que todas as personagens são uma crítica implícita ao ser humano, às suas virtudes e aos seus defeitos, como também à própria sociedade.
Gostei muito do livro. Aconselho-o a quem gostar de livros de fantasia, com algum humor e crítica à mistura.

Comentários

  1. Olá,
    Nunca li nada deste autor mas tenho visto óptimas criticas. Parece ser um bom livros.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Eu só reparei que tinha lido tantos livros deste autor quando escrevi esta opinião. Já li quatro livros, e todos eles são muito diferentes entre si, mas todos muito originais.
    Se gostas de fantasia e de livros "fora do comum", vais gostar!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Olá Kel :)

    Um autor que quero muito conhecer.
    Tenho lido várias e boas críticas.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Vale mesmo a pena Denise! :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário