[Opinião] A Guerra Diurna - Peter V. Brett




Título Original: Tha Daylight War
Tradução: Renato Carreira
Editora: Asa
Colecção: A Noite dos Demónios #3
Páginas: 796
Classificação: 4/5




Sinopse
Na noite da Lua Nova, os demónios erguem-se em força, procurando as mortes dos dois homens com potencial para se tornarem o lendário Libertador, o homem que, segundo a profecia, reunirá o que resta da humanidade num esforço derradeiro para destruir os nuclitas de uma vez por todas.
Arlen Fardos foi outrora um homem comum, mas tornou-se algo mais: o Homem Pintado, tatuado com guardas místicas tão poderosas que o colocam à altura de qualquer demónio. Arlen nega constantemente ser o Libertador, mas, quanto mais se esforça por se integrar com a gente comum, mais fervorosa se torna a crença destes. Muitos aceitaram segui-lo, mas o caminho de Arlen ameaça conduzir a um local sombrio a que apenas ele poderá deslocar-se e de onde poderá ser impossível regressar.
A única esperança de manter Arlen no mundo dos homens ou de o acompanhar reside em Renna Curtidor, uma jovem corajosa que arrisca perder-se no poder da magia demoníaca.
Ahmann Jardir transformou as tribos guerreiras do deserto de Krasia num exército destruidor de demónios e proclamou-se Shar’Dama Ka, o Libertador. Tem na sua posse armas ancestrais, uma lança e uma coroa, que consubstanciam a sua pretensão e vastas extensões das terras verdes se curvam já ao seu poderio.
Mas Jardir não subiu ao poder sozinho. A sua ascensão foi programada pela sua Primeira Esposa, Inevera, uma sacerdotisa ardilosa e poderosa cuja formidável magia de ossos de demónio lhe permite vislumbrar o futuro. Os motivos de Inevera e o seu passado encontram-se envoltos em mistério, e nem Jardir confia nela por completo.

Opinião
Quando li o primeiro livro desta saga, fiquei completamente rendida à história – as personagens com características muito reais, a história da luta pela liberdade e pelo bem, o rapaz perdido no mundo, mas que encontra, por fim, o seu objectivo.
Esperei pelo segundo com alguma ansiedade – quando o li não achei tão bom quanto primeiro, principalmente porque a história não girava apenas à volta do Homem Pintado, Arlen, mas sim em torno de outra personagem que se viria a tornar também numa das principais, Jardir. Mas, de qualquer forma, gostei da história e da construção das personagens.
Este terceiro volume, esteve, uma vez mais, um patamar abaixo do que o que eu estava à espera. Principalmente porque existe uma parte muuuuito grande do livro reservada apenas à primeira esposa de Jardir, a Inevera. Nunca gostei desta personagem, e estas páginas dedicadas apenas à sua história são um bocado cansativas e aborrecidas ( e ainda não percebi  porque é que é tããão importante saber a sua vida em pormenor). Se calhar só acho isto porque não simpatizei com esta personagem…mas, de qualquer forma, achei estranho o Homem Pintado só aparecer na segunda parte do livro...
Pois bem, retirando este pequeno grande pormenor, o livro mantém uma das características que mais gostei nos volumes anteriores – personagens bem construída, sendo notória a forma como o passado as pode influenciar e definir. Não são personagens standart, que se mantêm iguais desde o início até ao fim…são personagens reais. Elas evoluem de acordo com as suas vivências, mantendo sempre os seus princípios base.

Além do mais, acho toda a história bem conseguida – duas comunidades muito distintas que lutam para conseguir o mesmo fim, mas que devido às suas divergências não percebem que seria mais útil unirem forças; um mundo de demónios que tenta dominar o mundo, mas que só consegue vir a esta dimensão durante a noite, e que anseia ardentemente que chegue a “noite mais longa”; personagens distintas, tendo cada uma características e personalidades únicas, tornando toda a história muito mais rica.
Em relação à escrita – o livro está bem escrito, apesar de ser constituído por uma escrita demasiado simples (a meu ver, obviamente), mas consegue agarrar o leitor, fazendo com que ele se empolgue com a história e com as personagens.

O final é demasiado mau – não, não é propriamente mau, é apenas desnorteante!!! Acabei de ler o livro e, apesar de ser um livro de 700 páginas, eu queria ler mais! Acaba de uma forma tão enigmática que a vontade de saber o que acontece a seguir é demais. Conclusão, apesar de achar que de livro para livro a qualidade da história vai descendo, tenho de ler o livro seguinte!

Previous
Next Post »

4 comentários

Write comentários
Tânia G.
AUTHOR
11 de março de 2015 às 12:58 delete

Olá,
Parece ser uma excelente série.
Nunca li nada do autor mas fiquei curiosa.
Beijinhos

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
11 de março de 2015 às 14:29 delete

Eu adorei o primeiro volume! Os restantes não estou no mesmo nível, mas continua a ser uma boa série de fantasia. Se gostas do género, vale a pena :)
Beijinhos e boas leituras

Reply
avatar
Fiacha
AUTHOR
11 de março de 2015 às 16:43 delete

Viva,

Bem já li à muito tempo mas é sem duvida um grande livro e o final foi quanto a mim genial ehehe

Gostei do teu comentário :)

Bjs e boas leituras

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
13 de março de 2015 às 16:06 delete

Olá Fiacha!
Ainda bem que gostaste.
Sim, o final foi genial! Agora é esperar pelo próximo volume para sabermos o que acontece.
Beijinhos e boas leituras

Reply
avatar

Mensagens populares