A Demanda do Visionário - Robin Hobb [Opinião]



Título Original: Assassin’s Quest (2º Parte)
Colecção: A Saga do Assassino #5
Tradução: Jorge Candeias
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 476
Classificação: 5/5



Sinopse
O verdadeiro rei dos Seis Ducados desapareceu numa missão misteriosa em bsca dos Antigos para salvar o reino da ameaça dos Navios Vermelhos. O seu irmão usurpador está determinado a impor uma tirania cruel e não abrirá mão do poder, a não ser com a própria morte. Fitz sabe que a única forma de por fim ao reinado do príncipe usurpador é iniciar uma demanda em direcção ao reino das Montanhas onde irá descobrir a verdade sobre as profecias do Bobo. Mas a sua missºão enfrenta um novo perigo com a magia do Talento a precipitar a sua alma para a beira do abismo.
Conseguirá resistir à magia e ainda enfrenta os obstáculos que surgem à sua demanda?

Opinião
CONTÉM SPOILERS!

Um desfecho genial para uma saga que me encheu as medidas.
É complicado colocar em palavras a forma como o livro me marcou. Estes dois últimos livros da saga foram de tal forma surpreendentes que é difícil perceber por onde é que hei-de começar a escrever.

Começando pela escrita – Robin Hobb é fantástica. O ritmo que incute à leitura é desnorteante, visto que as acções desenrolam-se de uma forma lenta, mas o tipo de escrita consegue agarrar o leitor de tal forma que é difícil parar de ler. Tem as descrições necessárias, sem tornar o texto pesado, mas ao mesmo tempo consegue fazer com que o leitor veja todo a acção como se estivesse num ecrã de cinema. Além disso, as suas personagens são tão complexas e bem exploradas, que começamos a vê-las como pessoas e não como personagens. O ser humano é extremamente complexo, e as personagens criadas por esta escritora conseguem transparecer a confusão de pensamentos e sentimentos que ocorrem em qualquer ser humano.

Falando agora da história – aparecem DRAGÕES! Provavelmente não sabem, mas os dragões são, de longe, a minha criatura mitológica preferida. Toda a história criada à volta dos dragões e de como estes são criados é fascinante. De repente, toda a história tem outra profundidade, e o uso do Talento passa de algo espantoso para um patamar superior devido à sua grandiosidade.
Neste livro, é apresentada mais uma vez a ambição mortal de Majestoso pelo poder. É-nos mostrado também como é que este príncipe se tornou tão cruel – e deixa-nos a pensar em como é que pequenas discórdias de infância podem ter tanta influência na vida adulta.

Fitz, o nosso protagonista, é uma das personagens chave para acabar com a guerra que tem assolado os Seis Ducados. Gostei de como ele termina no livro. Pessoalmente, não estava à espera de nada em concreto para a personagem, mas gostei de como a autora terminou esta história. Ela mostrou que Fitz, apesar de ter sido fundamental no desfecho da guerra, resolveu afastar-se de todos e viver uma vida pacata e feliz, mantendo-se no anonimato. O ideal é que sejamos felizes connosco e não com o que os outros pensam de nós. É uma excelente forma de acabar esta fabulosa saga.

Gostei imenso desta saga, tornando-se uma das minhas favoritas deste género.

Aconselho a todos os amantes de fantasia.

Previous
Next Post »

Mensagens populares