Anna Karenina - Lev Tolstói [Opinião]



Título Original: Anna Karenina
Tradutor: João Neto
Editora: Europa América
Páginas: 872
Classificação: 5/5 – Adorei!!!




Sinopse
Por entre o frio de Moscovo e as neblinas geladas de São Petersburgo, uma história de amor imortal que nasce com um simples olhar. Uma paixão trágica que tudo abandona para se dedicar ao amor de um único homem. Uma heroína tão intensa e comovedora como Madame Bovary e a Dama das Camélias, que eternizou o nome de Lev Tolstói colocando-o na galeria dos grandes génios da literatura universal.
Já se disse que a obra de Shakespeare, a de Balzac e a de Tolstói são os três maiores monumentos erguidos pela Humanidade à própria Humanidade. Estou cada vez mais convencido de que isso é verdade!” André Maurois


Opinião
Escrever uma opinião sobre este livro deixa-me intimidada. Duvido muito conseguir passar para palavras o que senti quando li esta grande obra.
 Tolstói é um génio e as suas obras são excepcionais. Em tempos li o Guerra e Paz, que se tornou uma autêntica epopeia devido ao seu tamanho (a edição que li estava dividida em 4 partes, o que não ajudou muito) e à sua complexidade. Quando comecei a ler a  Anna Karenina entrei rapidamente na história e a escrita não me pareceu tão pesada. Talvez o que me custou mais na obra que li anteriormente eram as partes dedicadas à guerra, o que se tornava um pouco aborrecido e cansativo.

Mas falando mais propriamente da Anna Karenina….
É uma obra genial, com uma escrita soberba, extremamente reflexiva, que deixa o leitor a pensar e repensar sobre o que leu. A sua história deixou-me nalguns momentos enternecida, noutros furiosa, triste, chateada e, no final, extremamente angustiada. É uma história que me tocou profundamente. Uma história de amor, com uma heroína que sentiu o fogo do verdadeiro amor e que, por ele, teve de abdicar de muito na vida. Um amor que lhe trouxe felicidade, mas também muita dor e sofrimento. Uma história incrível que todos os leitores deveriam ler.

O autor conseguiu criar personagens extremamente complexas e reais, em que cada uma tem valores e pensamentos muito distintos e definidos. Tal como um ser humano, as suas personagens vão crescendo e mudando a sua forma de agir, de acordo com as suas vivências e pensamentos. A protagonista, Anna Karenina, é uma mulher belíssima e carismática, considerada uma das damas mais importantes nos eventos sociais, mas que vivia um casamento infeliz, junto de um homem que não amava. Quando descobre o seu verdadeiro amor, abandona tudo e todos e corre atrás da felicidade que ambicionava. Numa altura em que o divórcio era visto de forma reprovadora, quando uma mulher abandonava o marido para ficar com outro homem era algo ultrajante. Numa sociedade extremamente rígida em relação a valores e tradições, Anna Karenina tornou-se uma mulher indesejada, sendo impróprio que outras mulheres a visitassem ou que alguém estabelecesse com ela qualquer tipo de contacto.

Além de Anna, o seu marido, Alexei Karenin, e o seu amante, Alexei Vronsky, são personagens muito peculiares, cada uma movida pelos seus próprios valores e sentimentos. Karenin um homem rígido e intransigente, não permite ficar mal visto pela sociedade, independentemente da felicidade (ou infelicidade) da esposa. Por outro lado, Vronsky, um ser com valores muito próprios, habituado a ser um “bon vivant”, apaixona-se perdidamente por Anna mas não entende a que ponto a questão social ligada ao seu relacionamento a afecta, levando-a a sentir-se humilhada.

Além do casal (ou triângulo amoroso) principal, Tolstói conta a história de mais casais, havendo sempre ligações entre eles. Todos eles são importantes para a história, mas gostava de focar uma personagem que me marcou pela sua própria reflexão sobre as coisas e que me fez também pensar e meditar sobre muitos assuntos (provavelmente era o propósito do escritor) – Konstantin Levin. Um homem que reflecte sobre a religião, a fé nas coisas, em Deus, nos antepassados, a evolução da indústria, a felicidade conjugal, a pureza das pessoas, entre outras questões. É extraordinário como é que Tolstói cria uma história tão grandiosa em sentimentos humanos e, ao mesmo tempo, indaga sobre questões tão profundas do ser humano.

Uma obra memorável. Sem dúvida, dos melhores livros que li até hoje.



Previous
Next Post »

4 comentários

Write comentários
Mónica Silva
AUTHOR
13 de outubro de 2013 às 19:55 delete

Uma obra-prima definitivamente :)

Reply
avatar
Paula
AUTHOR
15 de outubro de 2013 às 05:00 delete

A par da história de Ana eu adorei a história de Levine :) Que na minha opinião é tão importante quanto a de Ana.

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
15 de outubro de 2013 às 10:44 delete

Olá Paula,

Sim, de facto este livro tem uma série de personagens principais, não sendo apenas Anna. Levine é aquela personagem que nos faz pensar não é?
Boas leituras

Reply
avatar