Vodu nas Caraíbas - Tim Powers




Vodu nas Caraíbas

Tim Powers


Saída de Emergência






Sinopse


O ano é o de 1718. O jovem John Chandagnac atravessa o Atlântico em direcção às Caraíbas para recuperar a rica plantação do pai, mas o navio é tomado por piratas. Atacando sem pensar o capitão dos salteadores para vingar a morte do amigo, acaba por ter de fazer a escolha da sua vida: ou morre ali mesmo..ou se junta aos piratas!
E assim começa o Vodu nas Caraíbas. Rebaptizado de Jack Shandy pelos piratas, o nosso herói mergulha num mundo que só conhecia das lendas: o da magia negra e aventura.
Para piorar as coisas, a jovem que Jack ama de todo o coração - a linda e delicada Beth -, seguia no mesmo navio. Primeiro, Jack terá de a salvar de um cultista louco que a pretende sacrificar quando chegar às Caraíbas. A seguir, terá que enfrentar o famigerado Barba Negra, que vê em Beth a companheira ideal para um vida de sangue e rapina no mar.
Incrivelmente talentoso na maneira como escreve as suas histórias, Tim Powers oferece-nos uma viagem fantástica a navios fantasmas, tripulações de zombies, feitiçaria negra e ao segredo da Fonte da Juventude.


Vodu nas Caraíbas é a primeira obra publicada em Portugal do autor Tim Powers pela editora Saída de Emergência. Foi editado pela primeira vez em 1987 nos EUA. O título português adoptado para este livro não é a tradução literal do original, On Stranger Tides, devido à recente relação que este tem com o filme "Piratas das Caraíbas". A Disney irá usar alguns elementos deste livro no 4ºfilme desta saga e, por isso, o título foi modificado para haver uma melhor relação entre a arte das palavras com a arte cinematográfica.

On Stranger Tides, valeu ao escritor o prémio do prestigiado Philip K. Dick Memorial Award, e a nomeação para o Locus Fantasy and World Fantasy Awards em 1988.


Crítica

Quando comprei este livro e fiquei cheia de vontade de o ler. Gosto muito de toda a temática relacionada com piratas, e se tiver magia ainda me cativa mais. A verdade é que fiquei um pouco decepcionada com o livro. É uma escrita densa, que não cativa o leitor desde o início. Nos momentos de maior acção e tensão, apesar de estarem muito bem descritos, não faz sentir a adrenalina que impede o leitor de deixar de ler, e algumas passagens são bastante monótonas. Apesar de tudo gostei muito da personagem principal, dos os capitães piratas e os seus bocors (termo da religião afro-haitiana que designa os feiticeiros contratados que trabalham em segredo). A história acenta principalmente na magia vodu - desde encantamentos, maldições, a tentativa de ressuscitar pessoas usando só a sua alma, navios já naufragados à muitos anos que voltam a navegar no mar, juntamente com a sua tripulação de marinheiros, que tinham perecido juntamente com o navio. Algumas destas ideias estão muito bem descritas e formuladas, e dão à história um encanto muito próprio, cheio de magia negra.
Este não foi um dos meus livros preferidos sobre este tema, apesar de tudo, tem ideias muito originais, e consegue criar um excelente mistério, com algumas informações histórico-culturais sobre a vida dos piratas e a sua relação com a magia negra.
Previous
Next Post »

Mensagens populares