Nação Crioula - José Eduardo Agualusa

[O post contém spoilers (revelações do enredo)]







Nação Crioula
A Correspondência Secreta de Fradique Mendes
José Eduardo Agualusa







Sinopse
Nação Crioula conta a história de um amor secreto: a misteriosa ligação entre o aventureiro português Carlos Fradique Mendes - cuja correspondência Eça de Queirós recolheu - e Ana Olímpia Vaz de Caminha, que, tendo nascido escrava, foi uma das pessoas mais ricas e poderosas de Angola. Nos finais do século XIX, em Luanda, Lisboa, Paris e Rio de Janeiro, misturam-se personalidades históricas do movimento abolicionista, escravos e escravocratas, lutadores de capoeira, pistoleiros a soldo, demiurgos, numa luta mortal por um mundo novo.


Crítica
Este livro faz parte da colecção Autores Lusófonos que sai todas as semanas com a revista Visão. Em Fevereiro a revista começou a lançar esta colecção de apenas 6 volumes e devido ao sucesso que alcançou em maio criou uma segunda parte, de mais 6 livros. O interesse da colecção é divulgar alguns dos mais talentosos e conceituados autores de países de língua portuguesa. Os escritores, de origens muito diferentes como Angola, Moçambique, Guiné, Brasil, Cabo Verde e Portugal, são unidos pela mesma língua, aproximando culturas e países muito diferentes.

José Eduardo Agualusa é Angolano. Muitos dos seus livros ganharam diversos prémios e as suas obras foram traduzidas para diversas línguas. Nação Crioula foi galardoado com o "Grande Prémio de Literatura RTP".

Ler um livro escrito na nossa língua materna tem outro sabor. Não somos sujeitos a más traduções, e podemos apreciar todas as expressões e todos os trocadilhos que a nossa língua permite. Temos uma língua tão rica e complexa, e mesmo assim a grande parte de livros que lemos são traduções.
Cada vez me interesso mais por autores portugueses, e vou tentando, aos poucos, enriquecer a minha biblioteca com escritores que fazem parte da literatura lusófona.
Agora falando da Nação Crioula, gostei imenso de sentir Portugal do século XIX. Pensamos que a escravatura já foi à muito tempo, e no final do século XIX ainda eram levados escravos africanos para o Brasil. No livro mostra a forma desumana que o povo africano era tratado, como foi a época da abolição da escravatura, como era a mentalidade do povo português na altura. É um livro extremamente rico em descrições e explora todos os pontos de vista da escravatura,como o caso de Ana Olímpia, uma princesa de Luanda, que cresce no meio dos brancos, tornando-se uma das pessoas mais ricas e poderosas de Angola. Após essa época abastada volta a ser escrava de uma das mulheres mais repugnantes, que tratava os escravos de uma forma horrenda. A história é contada por Fradique, um nobre português que parte para África em busca de aventura, e que vai escrevendo cartas à sua madrinha, ao seu grande amigo Eça de Queirós e à sua amada Ana Olímpia.
A escrita de Agualusa é excelente. Lembra em muitas partes a escrita de Eça de Queirós, desde a descrição à narração. Um livro muito bom!
Previous
Next Post »

4 comentários

Write comentários
Rubi Girão
AUTHOR
14 de junho de 2010 às 19:10 delete

ahh esse vi-o em cima da mesa;)

Reply
avatar
Landa
AUTHOR
15 de junho de 2011 às 11:18 delete

Mais um autor que quero conhecer. É engraçado que muito dos livros que lês e dás opinião são, na maior parte deles livros que pretendo ler brevemente!

Boas leituras!

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
15 de junho de 2011 às 18:11 delete

Olá Landa!
Então andamos em sintonia! :)
E as tuas opiniões têm sido parecidas com as minhas ou nem por isso?
Boas leituras

Reply
avatar
Landa
AUTHOR
15 de junho de 2011 às 23:17 delete

Tirando o Mia Couto, ainda não iniciei mais nenhum autor dos quais já falaste, mas tenho já cá em casa alguns na minha pilha de livros A Cabana, Memórias de uma Gueixa e o Siddartha. Também tenho alguns autores em comum, embora as obras sejam diferentes e dois ou três que estou à espera de adquirir. Veremos se as opiniões vão convergir. Bjs

Reply
avatar

Mensagens populares