Young, Wm. Paul - A Cabana





A Cabana

Wm. Paul Young



A história de uma conversa com Deus que mudará a sua vida para sempre









Sinopse

As férias de Mackenzie Allen Phillips com a família na floresta do estado de Oregon tornaram-se num pesadelo. Missy, a filha mais nova, foi raptada e, de acordo com as provas encontradas numa cabana abandonada, brutalmente assassinada.
Quatro anos mais tarde, Mack, mergulhado numa depressão da qual nunca recuperou, recebe um bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à malograda cabana.
Ainda que confuso, Mack decide regressar à montanha e reviver todo aquele pesadelo. O que vão encontrar naquela cabana mudará o seu mundo para sempre.

A Cabana, uma história que Paul escreveu para oferecer aos filhos no Natal, depressa se tornou num incrível caso de popularidade entre familiares e amigos. Em pouco tempo tornar-se-ia num dos maiores fenómenos de vendas nos EUA.


"Esta história deve ser lida como se fosse uma oração, cheia de ternura, amor, transparência e surpresas. Se tiver que escolher apenas um livro para ler este ano, leia A Cabana."
Michael W. Smith (cantor e compositor de música gospel)


"É o sonho de qualquer autor: começar com uma edição própria e atingir este nível de vendas. As pessoas não estão propriamente preocupadas com o quão ortodoxa é a teologia. As pessoas envolvem-se na história e deixam que o livro lhes desafie as emoções."
Lynn Garret (editor de religião da Publishers Weekly)




Crítica

Este livro, como muitos outros, foi aconselhado pela minha mãe. Além de já ter vendido 7 milhões de livros nos EUA, um colega da minha mãe leu-o e no Natal comprou exemplares para distribuir pela família toda. Isto só demonstra o quanto ele gostou do livro.
Eu comecei a ler o livro um bocado desconfiada. Espero não ferir susceptibilidades, mas a verdade é que a minha posição face à igreja neste momento não é muito positiva. Como sabia que o livro era uma conversa com Deus, fiquei com um bocadinho de receio de como seria a postura do escritor face à religião. Apesar de tudo o livro surpreendeu-me. A maneira como aparece a figura de Deus é muito caricata, algo que nenhum de nós poderia imaginar, e que nos ajuda a gostar logo da personagem. A posição do autor em relação à igreja também me agradou visto ser muito idêntica à minha. Há uma passagem que ele diz: "-Por melhores que sejam as intenções, sabes que a máquina religiosa é capaz de triturar as pessoas". O livro não fala da religião em si, mas fala de como viver uma vida plena, amar os outros, saber desculpar, saber desculpar-se, e saber viver com os erros e defeitos de cada um. O livro faz pensar. Um dos exemplos é quando fala sobre a hierarquia. No trabalho existe uma hierarquia, na justiça existe uma hierarquia, e até na própria família, em que muitas casas o "pai" manda e os restantes membros obedecem. Não seria melhor vivermos todos em conjunto, sabendo ouvir os outros, dividir os problemas e as alegrias?
Penso que devemos ler este livro como um livro de ajuda a entender o ser humano e a sociedade. Aprender a viver e a perdoar. Saber amar os outros apesar dos seus defeitos.
A escrita é muito simples, e no final a "conversa com Deus" torna-se um bocadinho repetitiva. Mas tem um final muito bonito! A personagem principal que tinha perdido a filha, deixa de se sentir deprimido e volta a sentir a tão desejada paz interior, além de conseguir ajudar a restante família a superar a perda.

Um bom livro. Faz-nos pensar na vida e na sociedade em que vivemos.
Previous
Next Post »

2 comentários

Write comentários
Ana
AUTHOR
8 de setembro de 2010 às 11:42 delete

Olá

Também gostei muito da leitura deste livro.

Boas Leituras ;)

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
8 de setembro de 2010 às 15:01 delete

Oi!

Este livro é de um tema completamente diferente do que estou habituada a ler..mas também gostei muito de o ler!

Obrigada por visitares o meu cantinho! :D

Boas leituras! :D

Reply
avatar

Mensagens populares