Zusak, Markus - A Rapariga que roubava Livros




A Rapariga Que Roubava Livros


Markus Zusak


Editorial Presença







Sinopse:

Quando a morte nos conta uma história temos todo o interesse em escutá-la. Assumindo o papel de narrador em A Rapariga Que Roubava Livros, vamos ao seu encontro na Alemanha, por ocasião da segunda guerra mundial, onde ela tem uma função muito activa na recolha de almas vítimas do conflito. E é por esta altura que se cruza pela segunda vez com Liesel, uma menina de nove anos de idade, entregue para adopção, que já tinha passado pelos olhos da morte no funeral do seu pequeno irmão. Foi aí que Liesel roubou o seu primeiro livro, o primeiro de muitos pelos quais se apaixonará e que a ajudarão a superar as dificuldades da vida, dando um sentido à sua existência. Quando o roubou, ainda não sabia ler, será com a ajuda do seu pai, um perfeito intérprete de acordeão que passará a saber percorrer o caminho das letras, exorcizando fantasmas do passado. Ao longo dos anos, Liesel continuará a dedicar-se à prática de roubar livros e a encontrar-se com a morte, que irá sempre utilizar um registo pouco sentimental embora humano e poético, atraindo a atenção de quem a lê para cada frase, cada sentido, cada palavra.
"Um livro soberbo que prima pela originalidade e que nos devolve um outro olhar sobre os dias da guerra no coração da Alemanha e acima de tudo pelo amor à literatura."


Crítica:
Este livro precisa de ter um destaque muito especial.

É um dos meus livros preferidos!

Como diz na sinopse, fala da morte, d uma criança no meio da guerra, e do poder dos livros. Três misturas bombásticas, que resultaram num livro soberbo!
A forma como a história está narrada é simplesmente fantástica, e por vezes colocamo-nos no lugar da morte, que tem de carregar as crianças assassinadas nos braços, e ao mesmo tempo se vai deparando com uma criança que vai roubando livros para ler! A escrita é fantástica e a história não lhe fica atrás. No final, até fiquei comovida. Não por ter um final dramático, mas por toda a envolvência. É possível ler o livro sem se sentir demasiado chocado ou angustiado porque o autor soube intercalar muito bem os momentos mais tristes com a vivência de uma infância feliz.

Leiam este livro! Merece mesmo um lugar muito especial!
Previous
Next Post »

3 comentários

Write comentários
Anónimo
AUTHOR
11 de junho de 2010 às 22:41 delete

Com a crise que estamos ainda vamos começar a rouba livros, mas nem é mau, só mostra a nossa adoração pela leitura :O
Realmente o livro parece ser interessante, pôr-nos no lugar da morte, é bastante complexo e dificultoso porque nunca sabemos o que há no além!

Reply
avatar
tonsdeazul
AUTHOR
5 de agosto de 2010 às 17:12 delete

Gosto de ler sobre esta parte da História. E este livro sobre o Holocausto é um dos que mais gostei de ler. Surpreendeu-me a sua diferença. Também recomendo vivamente!

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
6 de agosto de 2010 às 02:22 delete

É mesmo isso! Quando o li não imaginava que fosse um livro assim. Como já percebeste gostei muito!
Obrigado por comentares!

Reply
avatar

Mensagens populares